jump to navigation

Sondagem: Portugueses contra adopção por homossexuais March 8, 2004

Posted by igualdadenocasamento in Portugal.
trackback

A maioria dos portugueses é contra a adopção de crianças por casais homossexuais, de acordo com uma sondagem publicada, segunda-feira, no jornal «Público».

Segundo uma sondagem divulgada, hoje, pelo jornal «Público» 58 por cento dos portugueses não concorda com a adopção de crianças por casais do mesmo sexo, defendida por apenas 29 por cento dos inquiridos.

Cerca de 13 por cento dos inquiridos não sabe ou não responde.

A lei portuguesa não permite que os homossexuais se candidatem à adopção, autorizada em países como a Holanda e a Suécia, onde desde 2002 casais do mesmo sexo que se encontrem em união de facto podem adoptar crianças.

No Reino Unido a adopção é possível caso seja um só membro do casal a candidatar-se, e nos Estados Unidos a permissão existe em nove estados.

No entanto, a adopção por homossexuais ainda divide os técnicos de saúde mental.

A polémica foi lançada pelo presidente da Comissão de Acompanhamento da Lei da Adopção, Luís Villas-Boas, que afirmou que mais vale uma criança passar toda a vida numa instituição à «infelicidade de ser educado por homossexuais», porque tal irá interferir com a sua «sexualidade natural».

Entre os técnicos ouvidos pelo jornal as opiniões dividem-se: há quem defenda que a aptidão para ser pai não se mede pela orientação sexual e quem veja risco acrescido de problemas mentais nas crianças educadas por casais do mesmo sexo.

Notícia TSF.

Advertisements

Comments»

1. someone - April 12, 2009

A possibilidade de adopção por casais homossexuais existe em vários países europeus, incluindo o Reino Unido, a Holanda, a Suécia e a Dinamarca – e também em muitos Estados dos EUA. Há, por isso, dados disponíveis que devem ser considerados em qualquer análise séria da questão.

A habitual preocupação quanto a uma possível pressão social a que as crianças pudessem estar sujeitas no ambiente escolar é rejeitada: a realidade é que as crianças conseguem perceber e explicar bem as suas famílias a colegas e professores. Este mesmo argumento já foi, aliás, aplicado no passado – por exemplo, à questão do divórcio – tendo a preocupação desaparecido com o surgimento de exemplos concretos (é hoje claro que os filhos de casais divorciados se tornaram rapidamente aceites)

2. Anonimo - October 23, 2011

Portugal é ainda, e infelizmente, um povo muito ligado às tradições, e com uma mentalidade muito fechada sem qualquer hipotese haver de novos estilos de vida que não sejam subjogados ao preconceito da sociedade.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: