jump to navigation

Pelo direito ao casamento civil June 22, 2005

Posted by igualdadenocasamento in Portugal.
trackback

marchales.jpg
Homossexuais vão marchar sábado em Lisboa

O casamento civil entre pessoas do mesmo sexo é a reivindicação política da marcha do orgulho lésbico, gay, bissexual e transgénero (LGBT) que no sábado se vai realizar na Avenida da Liberdade em Lisboa.

A sexta marcha nacional do orgulho LGBT foi hoje apresentada em Lisboa pela Associação ILGA Portugal e pelo Clube Safo na presença dos dois “madrinhos” escolhidos para a iniciativa, os escritores Inês Pedrosa e Rui Zink.

Além da marcha, foi igualmente apresentado o nono Arraial Pride, integrado no programa das Festas de Lisboa, que decorrerá no Parque do Calhau, em Monsanto, onde a organização do evento espera ver cerca de 10 mil visitantes.

A marcha, que conta também com as organizações Não Te Prives e Panteras Rosa, pretende chamar a atenção da sociedade para a proibição do casamento civil por duas pessoas do mesmo sexo.

“Pessoas que têm os mesmos deveres devem ter os mesmos direitos”, disse Rui Zink, ironizando: “se os gays e lésbicas deixarem de pagar impostos, então acho bem que não possam casar-se”.

Rui Zink criticou igualmente a impossibilidade de os casais homossexuais em Portugal não poderem adoptar crianças, referindo que o principal é que os casais tenham condições económicas, afectivas e psicológicas para as tratarem, o que não acontece por vezes em casais heterossexuais.

Também Inês Pedrosa se referiu ao direito de casamento entre “duas pessoas que se amam” do mesmo sexo, lamentando que, tal como na questão do aborto, Portugal esteja também aqui atrás de países como a Espanha.

“Esta reivindicação (casamento civil) é legítima” acrescentou a escritora, apelando a todos os que “acham justas as reivindicações” dos homossexuais a participarem na marcha e no arraial de sábado.

Os dois escritores sublinharam que o direito ao casamento entre duas pessoas do mesmo sexo é o “direito à normalidade”, afirmando que o casamento não tem só como objectivo a reprodução.

Ambos realçaram que a situação em Portugal não se compadece com a Constituição Portuguesa que proíbe a discriminação com base na orientação sexual.

Notícia SIC.

Advertisements

Comments»

No comments yet — be the first.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: