jump to navigation

Gay americano casa em Londres December 5, 2005

Posted by igualdadenocasamento in Estados Unidos, Reino Unido.
trackback

LEI QUE AUTORIZA UNIÕES HOMOSSEXUAIS ENTRA HOJE EM VIGOR

Na sequência da morte do seu anterior companheiro, Roy Peterson foi posto fora da casa que com ele partilhava. Este americano de 53 anos será um dos primeiros “a casar-se” no Reino Unido, graças à nova lei sobre as uniões homossexuais que entra hoje em vigor . Em 1994, quando vivia nos Estados Unidos, o seu companheiro de então morreu, vítima de sida, aos 38 anos. “Perdi o meu parceiro e não tínhamos nenhuma protecção legal”, explicou à agência France Press. “Quando o meu companheiro morreu, perdi muitas coisas”, disse Roy Peterson, que nessa altura já vivia há 13 anos em união de facto, sem qualquer protecção legal. “Os pais desse meu companheiro diziam que eu era seu filho e toda a sua família era muito simpática comigo”, lembra. Visitavam-se mutuamente, a família e os dois “filhos”. Mas as coisas mudaram quando o filho verdadeiro morreu. Roy foi posto fora da casa onde vivia. “Não havia nada a fazer”, recorda. “Na América, os casais gay não têm nenhum direito”. Passaram, entretanto, vários anos, e o mesmo Roy Peterson será agora um dos primeiros a assinar a “parceria civil” que hoje entra vigor, no Reino Unido. No próximo dia 21, em Croydon, subúrbio na zona sul de Londres, unir-se-á legalmente a Paul, um britânico de 49 anos, seu companheiro há 12. O casal beneficiará sensivelmente dos mesmos direitos que os casais heterossexuais que contraíram matrimónio. Os dois homens não hesitaram em dar este passo de “parceria civil”. Mas, acrescenta Roy, “não vemos isto como um grande dia. “Basicamente, diz ainda, “é apenas uma folha de papel que garante, caso eu morra, que ninguém poderá reclamar a casa ao meu companheiro”. Com a entrada em vigor desta lei, e depois da Holanda, Bélgica, Espanha e Canadá, o Reino Unido torna-se o quinto país a autorizar “casamentos homossexuais”. Outros países, como Portugal, já legislaram sobre as “uniões de facto”.

Jornal de Notícias

Advertisements

Comments»

1. Susana Ferreira/ Cátia Vaz - June 2, 2006

Eu acho que não devemos julgar as pessoas só pelas escolhas que elas fazem.
qualquer pessoa no mumento da vida que está pode se deparar com este tipo de problemas. sim, problemas porque simplesmente não são aceites pela comunidade, tal como são.
por isso sou a favor das manifestações que se fazem porque acho que todos devemos ter igualdade de direitos

2. argenor - December 29, 2009

estou em londres ecom meu companheiro e estamos juntos a quase 4 anos
estamos em um intercambio e gostariamos de casar aqui em londres
tem possibilidade?

3. argenor - December 29, 2009

argenor
ps:intercambio como estudantes
e nos dois somos brasileiros

4. Sherlyn - July 26, 2013

Wow, that’s what I was searching for, what a stuff! present here at this web site, thanks admin of this site.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: