jump to navigation

Casamento ‘gay’ acaba em divórcio na JS February 3, 2006

Posted by igualdadenocasamento in Portugal.
trackback

Por Fernanda Câncio

Seis dos nove deputados da JS assumiram ontem, em comunicado, o seu desacordo com a decisão do secretário-geral, Pedro Nuno Santos, de avançar, na sequência da iniciativa do BE nesse sentido, com um projecto-lei com vista à legalização dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Apesar de estarem de acordo com a mudança do Código Civil, os seis contestam o timing e acusam o secretário-geral de “protagonismo”.

Frisando que a JS não se constitui como “grupo autónomo” na bancada socialista, os contestatários consideram que o fundamental é “criar condições dentro do PS para que assuma a questão como uma prioridade”. Num primeiro momento, ao ter conhecimento do comunicado divulgado no início da tarde pela Lusa, Pedro Nuno Santos reagiu afirmando a sua autoridade, enquanto secretário-geral, para assumir as decisões que considera oportunas em face de compromissos assumidos pela JS – como é o caso -, assegurando que o fizera com conhecimento da direcção nacional do PS e da liderança da bancada.

Em seguida, porém, Nuno Santos reuniu-se com os deputados da JS, “pacificando” as hostes. Ficou assente que na terça-feira o projecto-lei será apreciado e se definirão posições definitivas. “Não quero comentar o que se passou, só quero resultados”, disse o dirigente ao DN, admitindo que nem todos os parlamentares da JS assinem o diploma. “Creio que é possível sermos o quinto país do mundo e o quarto da Europa a aprovar uma lei que seria uma mostra de modernidade. A esquerda moderna também passa por estas questões de igualdade, não passa só pelo plano tecnológico.”

As contas estão feitas de acordo com o líder da JS, a lei passará, mesmo com 27 votos contra do PS, desde que o PCP vote a favor (contando com o sim do BE). Mas para além de Sónia Fertuzinhos e Manuel Maria Carrilho (deputados do PS que assinaram a petição a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo, que dia 16 será entregue ao parlamento), os socialistas ainda não se definiram. O assunto não foi sequer discutido ontem na reunião, e o líder Alberto Martins assume que ainda não há qualquer posição, mas que o grupo, “aberto” e “democrático”, haverá de debater.

Diário de Notícias

Advertisements

Comments»

No comments yet — be the first.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: