jump to navigation

Gays entregam petição pelo direito a casarem February 16, 2006

Posted by igualdadenocasamento in Petição da ILGA, Portugal.
trackback

» Homossexuais. Ilga, Portugalgay e outros grupos vão hoje à Assembleia da República Reclamam casamento civil porque querem as mesmas opções

Por Leonor Paiva Watson

João Paulo, 37 anos, homossexual, garante que vai hoje a Lisboa ver a petição para o direito ao casamento civil a gays e lésbicas ser entregue na Assembleia da República (AR). “São, com certeza, mais de seis mil assinaturas”, avança. O editor do Portugalgay.pt está “cansado de ser cidadão de primeira para pagar impostos, mas de segunda no que toca a direitos”.

Do mesmo lado e a seu lado, Filipe, o companheiro, com sensivelmente a mesma idade e professor universitário, explica que “isto não quer dizer que os gays queiram casar”, antes “querem o direito a casar”. Ou seja, “da mesma forma que os casais heterossexuais têm opção, os homossexuais também a querem. É, acima de tudo, o direito a… É ter os mesmos direitos porque existem as mesmas obrigações”, reitera.

As questões práticas

Juntos há 10 anos, o casal garante que casaria se fosse possível. Até por “uma questão prática”, afirma Filipe. João conta que quando Filipe foi operado pôde visitá-lo no hospital “porque conhecia pessoas amigas”. Caso contrário, e se os pais de Filipe não gostassem de João, “as visitas poderiam ser vedadas”, lamenta.

Basicamente, “não há grande respeito por um amor diferente”, acrescenta Filipe. E exemplifica “No passado Dia dos Namorados, houve um programa na televisão que convidou três casais, mas nenhum era homossexual”.

A discriminação não se fica pelo pormenor e não são raros os ataques violentos a homossexuais, “só porque dormem com uma pessoa do mesmo sexo”, diz João Paulo.

Mas o que é que cada um de nós tem que ver com a vida íntima dos outros? A resposta é dada pelo Filipe “As pessoas odeiam quando alguém vive à margem das regras. Atacam os gays, como um soldado americano ataca um iraquiano. Porque são a maiorira e naquele momento podem”…

As “bichinhas loucas”

De braço dado com a discriminação anda o estigma. Os “homossexuais são todos umas bichas loucas”, exemplificam. E depois ironizam. “Imagine uma bancada de um grande gojo de futebol. Quem é que aparece na televisão? Os mal-comportados. Depois acham que os adeptos de um determinado clube são todos assim. Com os gays é igual. Acham que somos, todos, bichinhas”, gargalha Filipe que é, de resto, muito discreto.

De qualquer forma, salvaguarda João, “foram as bichinhas loucas que puseram a chave na porta. Foram os primeiros a lutar pelo direito de serem quem são”. Por este e pelo direito a casarem, a Ilga, o Portugalgay.pt e outros grupos entregam hoje na AR uma petição.

“Uma vez, uma senhora de 90 anos, que sabia que éramos namorados, desejou-nos muitas felicidades. Se alguém com um século de vida tem sabedoria para entender a diferença…”, rematam.

Jornal de Notícias 

Advertisements
%d bloggers like this: